Baú de Frases

Curioso de nascença, desde pequeno Monteiro Lobato procurava aprender o máximo sobre as coisas, visíveis ou imaginárias, e não era só nos livros que buscava respostas, gostava de saber como as pessoas pensavam, observava a natureza e descobria seus mistérios.

Com tanto conhecimento acumulado, é claro que ele adorava dar palpites sobre todos os assuntos, tentava mudar o que achava errado, melhorar o que já estava bom, e criava frases. Frases que davam a medida exata do tamanho do seu pensar e que estimulavam o leitor a continuar sonhando.

Como pode-se ver por estas, aqui selecionadas.

"Aqui jaz um homem que nunca leu a
(Entrevista ao Jornal de São Paulo, 1946)

"Tentei arrancar de mim o carnegão da literatura. Impossível. Só consegui uma coisa: adiar para depois dos 30 o meu aparecimento. Literatura é cachaça. Vicia."
(Carta a Godofredo Rangel, São Paulo, 16/6/1904)

"O que mais aprecio num estilo é a propriedade exata de cada palavra."
(Carta a Godofredo Rangel, Areias, 30/8/1909)

"Está provado que tens no sangue e nas tripas um jardim zoológico da pior espécie. É essa bicharia cruel que te faz papudo, feio, molenga, inerte. Tens culpa disso? Claro que não." [sobre Jeca Tatu]
(Urupês, prefácio à 4ª edição, 1919)

"O caboclo é o sombrio urupê de pau podre (...) Só ele não fala, não canta, não ri, não ama. Só ele, no meio de tanta vida, não vive." [sobre Jeca Tatu]
(Urupês, 1ª edição, 1918)

"Meu plano agora é um só: dar ferro e petróleo ao Brasil."
(Carta a Godofredo Rangel, Nova York, 17/8/1927)

"Porque tenho sido tudo, e creio que minha verdadeira vocação é procurar o que valha a pena ser."
(Carta a Godofredo Rangel, Nova York, 28/11/1928)

"Um país se faz com homens e livros."
(América, 1932)

"Nada de imitar seja lá quem for. (...) Temos de ser nós mesmos (...) Ser núcleo de cometa, não cauda. Puxar fila, não seguir."
(Carta a Godofredo Rangel, São Paulo, 15/11/1904)

"Ele é isso. Corre na frente com o facho, a espantar todos os morcegos e corujas e a semear horizontes." [sobre o filósofo alemão F. Nietzsche]
(Carta a Godofredo Rangel, São Paulo, 24/8/1904)

"Ainda acabo fazendo livros onde as nossas crianças possam morar."
(Carta a Godofredo Rangel, Rio de Janeiro, 7/5/1926)

"Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira - mas já tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum."
(Mundo da Lua, 1923)